ENSINANDO COM AMOR E LÓGICA

ALGUÉM JÁ TE DISSE: “Tente fazer isso. É muito fácil”?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você tentou e notou que não era tão fácil assim. Na verdade, era bastante difícil!

Isso te deixou com um sentimento de incapacidade ou se sentindo um burro... e, também, meio sem graça?

Quando isso acontece com adultos não demora muito para chegarmos a duas conclusões:

  •  Essa pessoa que está tentando me ajudar é um louco... e, definitivamente, não posso confiar nela!

  • Por que eu deveria tentar coisas mais difíceis se não consigo nem fazer o que dizem que é fácil? 

 

Frequentemente ouço pais e educadores bem-intencionados dizendo:

Vai lá! Tente que é fácil!

Sempre com a esperança de incentivar a criança a realizar algo na qual ela está insegura.

Quando a criança acha a tarefa fácil, tudo vai bem. Quando ela não acha, logo é confrontada com a dor de saber que não consegue realizar algo mesmo sendo tão fácil!

 

Quantas vezes isso vai acontecer antes de nossas crianças começarem a perder a fé no mundo?

Quantas vezes isso vai acontecer antes de elas perderem a fé em suas próprias habilidades?

 

Você quer mesmo correr esse risco com seus filhos?

 

Experimente incentivá-lo assim:

Muitas crianças também acham esta tarefa difícil.

Você poderia tentar e, depois, me contar o que você acha?

 

Se você ouvir:

“É muito difícil para mim. Não consigo.”

Sorria, dê um tapinha nas costas e pergunte:

“Você ficaria feliz se eu te dissesse que eu não acredito que você não consegue? ”

“Você ficaria feliz se eu te dissesse que eu não acredito que você não consegue? ” é uma forma poderosa de se comunicar com seu filho. Indica que ele tem o que é necessário para alcançar o sucesso.

Uma simples pergunta reflexiva dá-lhe um superpoder.

Lembre-se: PERGUNTAS CRIAM REFLEXÕES, AFIRMAÇÕES CRIAM RESISTÊNCIAS.

Você também pode tentar outra pergunta:

E... Você ficaria feliz se eu te dissesse que vou continuar te amando demais, mesmo que você tenha que tentar e tentar e tentar quantas vezes for preciso até conseguir?

 

Love and Logic

Dr. Charles Fay

32662621_617222851955951_779782575655747

   Tudo bem dizer “NÃO” ao meu filho?

    

 

 

 

 

 

 

 

Na década de 60 alguns ‘experts’ em educação começaram questionar se realmente deveríamos dizer esta palavra para nossos filhos.

Algumas pessoas estavam preocupadas se, talvez, isso afetaria a personalidade deles. Outros achavam que dizer “não” sufocaria sua criatividade.

Crianças precisam escutar “NÃO” de vez em quando.

Veja abaixo algumas dicas básicas para usar essa palavrinha:

  • Diga “não” somente quando você puder sustentar isso com ações significativas.

Quando dizemos “não” sem ensiná-las a arcar com suas responsabilidades, estamos ensinando que “não”, na verdade, significa “sim”.

  • Diga não apenas quando conseguir fazer isso sem raiva ou frustração.

Crianças desafiadoras adoram ver nossos rostos vermelhos de raiva!

  • Diga “não” só quando isso não for roubar uma boa experiência de aprendizagem de seu filho.

Se a criança está para fazer algo que não é perigoso...  mas que o tiro poderá sair pela culatra... é mais sábio permitir que ela aprenda com seus erros em vez de dizer “não”.

  • Diga “não” sempre que for necessário, todavia com a menor frequência possível.

“Não” é uma ferramenta muito importante aos pais para ser usada toda hora. Guarde-a para aqueles momentos que realmente for necessária.

Dr. Charles Fay

Love and Logic Institute, Inc.

29750017_594746980870205_476176776917062